Terra Mater - Centro de Recursos i Ambestigaçon Multideciplinar
Notícias
Foi encontrado na aldeia de Picote, concelho de Miranda do Douro, um berrão que pode pertencer à Idade do Ferro.
21/6/2005 in Jornal Nordeste
Projecto para requalificação da aldeia representa um investimento de 1 milhão de euros.  
18/3/2008 in Jornal Nordeste
Autarquia mirandesa quer estender projecto de requalificação das aldeias a todo o concelho.
13/3/2008 in Mensageiro Notícias
A aldeia de Picote, concelho de Miranda do Douro, está a ser alvo de uma intervenção que visa o a recuperação e valorização do património natural, da paisagem e dos núcleos populacionais e...
12/3/2008 in RBA - Rádio Bragança
Meio século após a entrada em funcionamento, a central hidroeléctrica da barragem de Picote, no concelho de Miranda do Douro, prepara-se para novos desafios.
17/4/2008 in RBA - Rádio Bragança
As obras de requalificação em curso na malha urbana da aldeia de Picote estão a por descoberto um conjunto de achados arqueológicos.
11/9/2008 in RBA - Rádio Bragança
As obras de requalificação em curso na aldeia de Picote estão a pôr a descoberto um conjunto de achados arqueológicos.
9/9/2008 in Jornal Nordeste
Apostar na recuperação do património rural edificado e na promoção e divulgação da cultura local, é um projecto que está em curso em três localidades do concelho de Miranda do Douro de fo...
7/10/2008 in RBA - Rádio Bragança
A maior ponte rolante construída em Portugal está a ser transportada para a barragem do Picote em trás-os-montes. A ponte está a ser transportada por dois camiões e pesa cerca de 600 toneladas...
1/6/2009 in RTP
100 mil euros para inclusão social e reforço da cidadania.
7/10/2009 in RBA
EDP apoia projecto no âmbito da requalificação da aldeia de Picote. 
30/4/2010 in EDP
Cultibos, Yerbas i Saberes é a exposição que marca o arranque do Centro de Interpretação do Ecomuseu Terra Mater, aberto ao público desde o início do mês, na aldeia de Picote, em pleno Plan...
22/5/2010 in Público
Na aldeia de Picote, em Miranda do Douro, abriu ao público o Ecomuseu Terra Mater.
19/5/2010 in RTP
Envolver os visitantes com a Natureza. Esse é o objectivo do Ecomuseu Terra Mater, das Terras de Miranda.
7/5/2010 in Brigantia
Ecomuseu instalado em Picote aposta na divulgação dos recursos endógenos e do património imaterial.
6/5/2010 in Mensageiro Notícias
Foi inaugurado em Picote, Miranda do Douro, o Centro de Interpretação do Ecomuseu Terra Mater, o primeiro Ecomuseu da Terra de Miranda. 
3/5/2010 in Notícias do Nordeste
Unidade museológica pretende ser um espaço vivo aberto ao exterior e ao público.
3/5/2010 in RBA
Abriu em Picote, na sexta-feira, o primeiro ecomuseu da Terra de Miranda.
2/5/2010 in Diário de Notícias
Continuam as "cumbersas an mirandés", uma iniciativa promovida em Miranda do Douro para debater, discutir e defender a segunda lingua do território nacional.
1/6/2010 in Notícias do Nordeste
Ateliê de brinquedos tradicionais, de 2 a 6 de Agosto.
16/7/2010 in Ecomuseu Terra Mater
Os filmes "Doutor Jivago" e "A Sombra dos Abutres" têm em comum as paisagens de Miranda do Douro, como pode testemunhar a população da aldeia de Picote ao longo do mês de Agosto.
10/8/2010 in SIC
Quatro localidades do distrito de Bragança integradas no projecto "Aldeias de Portugal".
30/11/2010 in Jornal Nordeste
Estimular a actividade turística, e atrair investidores que dinamizem e projectem as Aldeias de Portugal. É esta a pretensão do projecto que foi apresentado ontem em Picote, Miranda do Douro.
26/11/2010 in Brigantia
Projecto da CoraNE visa promover o desenvolvimento turístico e actividades económicas em determinadas localidades.
26/11/2010 in Mensageiro de Bragança
La CORANE apresentou die 25, na aldé de Picuote, Miranda de l Douro, l porjeto Aldés de Pertual de que demos amboras ne l HOIJE, ne ls dies 25 i 26. Tamien houbo anterbençones an mirandés i ye ...
25/11/2010 in Froles Mirandesas
Um operário que trabalhava nas obras de reforço de potência em curso na central hidroeléctrica de Picote, em Miranda do Douro, ficou esta terça-feira ferido com gravidade quando ajudava na mon...
23/11/2010 in Brigantia
A terceira edição do Fundo EDP Biodiversidade distinguiu quatro projectos relacionados com investigação de fauna e flora em território português. 
21/12/2010 in Portal Ambiente Online
Quatro projectos nacionais sobre aves migradoras, árvores ribeirinhas, algas do fundo do mar e saberes associados às espécies do Parque Natural do Douro Internacional vão partilhar 500 mil euro...
21/12/2010 in Público
Quatro entidades distintas foram premiadas com 500 mil euros, repartidos por todas, no âmbito da terceira edição do Fundo EDP Biodiversidade.
18/12/2010 in Lusomotores
Projecto da CoraNE visa promover o desenvolvimento turístico e actividades económicas em determinadas localidades.
3/12/2010 in Portal de Miranda do Douro
A Associação FRAUGA, através do Ecomuseu Terra Mater, convida-o a participar num workshop sobre flores de Primavera a decorrer no campo ao longo de dois percursos pedestres pré-definidos, n...
30/3/2011 in Frauga
Miranda do Douro foi uma das localidades escolhidas pela Universidade do Porto para a realização de um dos cursos de Verão, intitulado "Mirandês. Língua e Cultura", a decorrer de 17 a 28 de Ju...
19/3/2011 in Notícias do Nordeste
Ecomuseu de Picote aposta na valorização ambiental e do património rural.
15/3/2011 in Jornal Nordeste
Universidade de Verão da Universidade do Porto Local: Picote e Miranda do Douro Datas: 18 a 29 de Julho de 2011
7/4/2011 in Fraga e Universidade do Porto
Um francês da região da Bretanha, que iniciou há cerca de dois anos uma viagem de bicicleta por vários países da Europa, para promover a diversidade linguística do espaço europeu, passou pel...
28/6/2012 in Mensageiro de Bragança
As ervas e plantas que outrora trataram e alimentaram as isoladas gentes transmontanas têm potencial para se transformarem num remédio para a crise dos dias de hoje, defenderam, em Bragança, est...
8/6/2012 in Diário de Notícias
Apresentar à população os resultados de dois anos de investigação na área da Etnobotânica da região de Miranda do Douro, foi o objectivo do Seminário de Etnobotânica e Recursos Vegetais, ...
8/6/2012 in Rádio Brigantia
A associação Frauga e a Universidade do Porto (UP) vão estabelecer uma parceria e iniciar escavações arqueológicas na localidade de Picote, junto ao Douro Internacional, numa área já refere...
13/9/2012 in RBA
11/9/2012 in Jornal Nordete
A Rede Eléctrica Nacional (REN) atribuiu cerca de 370 mil euros para financiar projectos nas freguesias de Picote e Vila Chã da Braciosa, no concelho de Miranda do Douro.
7/9/2012 in Rádio Brigantia
É sobretudo através da dinamização turística que o projeto Aldeias de Portugal pretende dinamizar económica, social e culturalmente aldeias de norte a sul do país, que ofereçam um nível de...
19/3/2013 in CoraNE
A Frauga - Associação para o Desenvolvimento Integrado de Picote - obteve a Declaração de Utilidade Pública, concedida pelo Governo de Portugal através do Ministro dos Assuntos Parlamentares,...
26/12/2013 in Frauga
A Junta de Freguesia de Picote, no concelho de Miranda do Douro, tem casa nova. Um investimento que rondou os 180 mil euros resultantes de série de contrapartidas promovidas pela Rede Elétrica Na...
9/6/2014 in Mensageiro de Bragança
A Frauga vai realizar o I Jantar Convívio dos seus associados, no próximo dia 22 de agosto (sexta feira), na Casa do Povo de Picote.
30/7/2014 in Frauga
Projecto arqueológico é feito, em colaboração, por três universidades portuguesas e uma espanhola.
17/7/2014 in Público
Os trabalhos de investigação vão decorrer até 2015.
7/7/2014 in Jornal i
A Frauga e o Departamento de Ciências e Técnicas do Património da Faculdade de Letras da Universidade do Porto vão iniciar no próximo dia 7 de Julho a 2.ª campanha de trabalhos arqueológicos...
3/7/2014 in Frauga
"Semilhos" é o título do mais recente livro sobre a língua e a cultura mirandesas. Uma compilação de textos da autoria do investigador nesta área António Bárbolo Alves publicados, ao longo ...
23/7/2015 in Radio Brigantia
13 investigadores de cinco países apresentaram e debateram estudos sobre a língua e a cultura mirandesas, nos últimos dois dias em Picote.
31/3/2016 in Rádio Brigantia
Na aldeia de Picote no concelho de Miranda do Douro decorre o 1.º Encontro Internacional de Investigadores da Língua Mirandesa.
30/3/2016 in TSF
A aldeia de Picote, no concelho de Miranda do Douro, acolhe até quarta-feira, o primeiro Encontro Internacional de Investigadores de Língua Mirandesa oriundos de seis países europeus, com a fina...
28/3/2016 in Notícias ao Minuto
A associação Frauga e o Agrupamento de Escolas de Miranda do Douro (AEMD) apresentaram hoje duas novas publicações que serão usadas como material didático nas aulas de língua mirandesa dos e...
5/7/2016 in Notícias ao Minuto
Autarca, associações e população de Picote, no concelho de Miranda do Douro, reclamam medidas preventivas e não restritivas para evitar incêndios de grandes dimensões na área protegida do P...
28/8/2017 in Diario de Noticias
O Miradouro da Fraga do Puio, em Picote, Miranda do Douro vai ser requalificado em breve. A garantia é dada pelo presidente da Junta de Freguesia. O Miradouro da Fraga do Puio ficou destruído num...
26/7/2018 in Radio Brigantia
Eventos
Festa em honra do Divino Santo Cristo dos Carrascos
3/8/2008
Festa em honra do Divino Santo Cristo dos Carrascos
4/8/2008
Festa em honra do Divino Santo Cristo dos Carrascos
5/8/2008
16/8/2009
2/8/2010
3/8/2010
4/8/2010
5/8/2010
6/8/2010
6/12/2010
27/12/2010
16/4/2011
22/8/2014
29/5/2015
30/5/2015
31/5/2015
18/7/2015
14/8/2015
10/9/2015
11/9/2015
25/9/2015
26/9/2015
27/9/2015
31/10/2015
29/3/2016
30/3/2016
17/4/2016
27/5/2016
28/5/2016
29/5/2016
29/5/2016
26/6/2016
7/6/2018
8/6/2018
9/6/2018
10/6/2018
4/8/2018
5/8/2018
13/6/2019
14/6/2019
15/6/2019
16/6/2019
Frauga: Associacao para o Desenvolvimento Integrado de Picote. Miranda do Douro, Portugal

XIV Encontros da Primavera

13 a 16 Junho 2019, em Picote

XIV Encontros da Primavera

O conceito proposto como ponto de partida para as atividades da XIV edição dos Encontros da Primavera, é a “paisagem” como topos físico e histórico de estratificação, conflto e encontro de múltiplas leituras dos territórios trasmontanos e durienses que foram e podem ser feitas a partir de tradições disciplinares e abordagens metodológicas diferentes.

Como é tradição nos Encontros da Primavera, a interrogação deste conceito e dos seus referentes territoriais irá ser feita através de leituras teóricas cruzadas marcadas por um diálogo profundo entre as ciências sociais e as artes visuais, como também por experiências sensoriais de exploração daqueles lugares, guiadas por especialistas de áreas diferentes.

Depois de mais de uma década de atividades, esta edição dos Encontros da Primavera pretende também ser uma oportunidade para interrogar a relação entre os territórios do interior – marcados por processos sociais, económicos e políticos por vezes dramáticos –, a pesquisa académica e as iniciativas culturais e artísticas que são nestes contextos frequentemente realizadas. De que forma este diálogo é possível e com quais fialidades? O confronto com outras experiências realizadas em territórios diferentes (em Portugal, em Espanha e na Itália), irá servir de base para abordar esta temática.

O evento central (13-16 junho) será complementado por um programa de residência artística (1-12 junho) para dois artistas, que, durante os dias anteriores aos Encontros, irão permanecer no território levando a cabo uma atividade de pesquisa artística e realizando um ou mais projetos site-specifi. Os artistas selecionados para a residência em 2019 são Marco Maria Zanin (Itália) e Pedro Vaz (Portugal).

A edição 2019 dos encontros contará ainda com a inauguração da exposição das obras realizadas pelos artistas em residência no verão de 2018, que terá lugar no Museu da Terra de Miranda (Miranda do Douro).

Inscrições

A participação comporta o pagamento de 50 euros. Este valor inclui a participação em todas as atividades previstas e os materiais necessários para as mesmas, alojamento em camaratas de 4 camas com casa de banho privativa, alimentação (pequeno almoço, almoços e jantares), certifiado de participação emitido pelo DESG-UTAD e Frauga.

Os interessados deverão entrar em contacto através do email encontrosdeprimavera@gmail.com até 31 de Maio de 2019. Os participantes selecionados deverão efetuar uma transferência do valor da inscrição para a associação Frauga (PT50003504710000996653026).

Inscrições limitadas a 30 pessoas.

Programa

Quinta-feira, 13 de junho
14h-17h: Chegada e acolhimento dos participantes (Praça da Igreja, Picote).
19h (Museu da Terra de Miranda, Miranda do Douro): Inauguração da exposição dos artistas residentes dos Encontros da Primavera 2018 e apresentação do programa dos Encontros da Primavera 2019, com Humberto Martins (criador dos Encontros da Primavera) e Jorge Lourenço (Presidente da Junta de Freguesia de Picote e Presidente da FRAUGA).
21h Jantar (Miranda do Douro): Restaurante Miradouro
00h: Regresso a
Picote

Sexta-feira, 14 de junho
9h30: Experiência de leitura da paisagem (orientada por João Carvalho, Maria Elisa Preto Gomes, Margarida Telo Ramos e Francisco Preto).
12h–13h: Reencontro no Ecomuseu – Debate.
13h-14h30: Almoço ligeiro.
14h30: Visita às obras dos artistas em residência.
16h–18h: Mesa redonda 1

  • Ana Isabel Afonso (Antropóloga, FCSH, Universidade Nova de Lisboa): “Baldios, ventos e homens – gestão local das novas paisagens energéticas”

  • Chus Domínguez (Realizador, LAAV – Laboratorio de Antropología Audiovisual Experimental, León)

  • Pedro Vaz (Artista)

18h30-20h: Projeção (com a presença de Chus Domínguez)

  •  "Puta Mina" (Espanha, 2018, 59’), filme do coletivo Puta Mina.

20h: Jantar.
22h30: Caminhada noturna com Observações Astronómicas e escuta dos sons da noite (orientada por Jorge Jacoto Lourenço, João Carvalho e António Bárbolo Alves).

Sábado, 15 de junho
9.30h: Visita às obras dos artistas em residência.
11h30-13h: Mesa redonda 2:

  • João Castro Silva (Escultor, coordenador do Mestrado em Escultura da FBAUL e membro da Associação Luzlinar)

  • Eneas Bernal (Coordenador da programação artística, Laboratorio 987, MUSAC, León) e Sira Escobar (Laboratorio 987, MUSAC, León)

  • Marco Maria Zanin (Artista)

13h30-15h: Almoço ligeiro.
15h–18h30: Projeção (com a presença da realizadora, Catarina Mourão)

  • "Pelas Sombras" (Portugal, 2010, 83’)

  • "A Toca do Lobo" (Portugal, 2015, 102’)

19.30h: Jantar-picnic em Picote com leitura de poesia.

Domingo, 16 de junho
9h30: Passeio de barco no Douro.
12h30: Almoço em Atenor.
15h: Fim das atividades.

Participantes

Chus Domínguez es realizador audiovisual especializado en cine documental. Con el DEAC MUSAC (Museo de Arte Contemporáneo de Castilla y León) ha puesto en marcha el LAAV (Laboratorio de Antropología Audiovisual Experimental), en el que se están desarrollando diversos proyectos de creación-investigación colaborativa. Forma parte del colectivo Orquestina de Pigmeos, con el que ha realizado acciones en España, Bélgica, Reino Unido y Alemania. Es profesor en la Diplomatura en Documental de la ECAM (Escuela de Cine de la Comunidad de Madrid). www.chusdominguez.es

João Castro Silva. Professor Auxiliar da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL). Doutor em Escultura pela FBAUL. Mestre em História da Arte pela Universidade Lusíada de Lisboa. Licenciado em Escultura pela FBAUL. Leciona nos três ciclos de estudos - Licenciatura, Mestrado e Doutoramento – do curso de Escultura da FBAUL. Coordenador do Mestrado em Escultura. Membro do Conselho Científio e Coordenador da Secção de Escultura do Centro de Investigação de Estudos em Belas-Artes (CIEBA). Colaborador estrangeiro no grupo de pesquisa LEENA (Laboratório de Extensão e Pesquisa em Artes), da Universidade Federal do Espírito Santo (Brasil). Desenvolve investigação plástica na área da escultura de talhe direto em madeira. Expõe regularmente desde 1990 e tem obra pública em Portugal e no estrangeiro. Participa em simpósios, ganhou diversos prémios e está representado em coleções nacionais e internacionais. Tem desenvolvido projetos de curadoria de exposições de Escultura e integra comissões científicas de Residências Artísticas.

Ana Isabel Afonso, Antropóloga, professora no Departamento de Antropologia da NOVA-FCSH, investigadora integrada no CICS.NOVA. Participação em projetos coletivos na área dos estudos ciganos, antropologia visual, paisagens energéticas e mudança social, entre os quais se destaca: Eoliennes et Paysage - Program «Paysage et Développement Durable», MEDD (2017-2010); Wind Power, Greening Society and Environmental Justice. Socio-cultural Impacts of Renewable Energies in American Landscapes, Fulbright-Schuman Advanced Research Grant (2013-14); Urban Gardening in Lisbon, with Krista Harper, University of Massachusetts-Amherst. (ai.afonso@fcsh.unl.pt)

Pedro Vaz (Maputo, 1977, www.pedrovaz.com) é licenciado em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (2006). Vive e trabalha em Lisboa. O seu trabalho artístico centra-se numa pesquisa em torno da natureza e paisagem, maioritariamente em suporte de pintura e instalação vídeo. O contacto pessoal com o lugar é essencial na sua prática e os seus projetos incluem muito frequentemente uma expedição. Exposições individuais recentes a destacar: Terra Firme, Colégio das Artes, Coimbra (2018), Azimute, Galeria 111, Lisboa (2018); Superstition Wilderness, Camões – Centro Cultural Português no Luxemburgo (2018); Peralta to Boulder Canyon, Phoenix Institute of Contemporary Art, Phoenix, EUA (2017); Trilha do Facão, Kubikgallery, Porto (2017). Exposições coletivas recentes a destacar: Second Nature, The Kreeger Museum, Washington D.C., US (2018); depois do choque, os trópicos, Galeria Luísa Strina, São Paulo (2018); Il tesoro è sempre più grande di quello che hai stretto tra le mani, Museo del Paesaggio Torre di Mosto, Torre di Mosto, Itália (2017).

Marco Maria Zanin (www.marcomariazanin.com) nasceu em Pádua em outubro de 1983. Vive e trabalha entre Pádua e São Paulo, Brasil. Formou-se primeiro em Literatura e Filosofia, e depois em Relações Internacionais, obteve um Mestrado em Psicologia. Ao mesmo tempo, desenvolveu sua carreira artística e viajou amplamente em diferentes partes do mundo, colocando em prática o “deslocamento” tão essencial para uma análise crítica dos contextos sociais e para alimentar sua pesquisa destinada a identificar os espaços comuns da comunidade humana. Mito e arquétipo como as matrizes submersas do comportamento moderno são o foco de sua investigação, que se baseia na observação da relação entre homem, território e tempo. Seu instrumento de escolha é a fotografia, que muitas vezes é usada combinando diferentes técnicas e transcendendo as fronteiras de outras disciplinas artísticas. Marco Maria Zanin foi também fundador em 2015 do projeto HUMUS INTERDISCIPLINARY RESIDENCE, uma plataforma interdisciplinar que, num estreito diálogo com entidades locais e internacionais, organiza intercâmbios artísticos, convidando artistas a formular as suas interpretações das áreas rurais da região italiana do Veneto através dos instrumentos da arte contemporânea.

João Paulo Fidalgo Carvalho. Professor de Silvicultura e Dendrologia da UTAD (1988/90). Doutoramento na área de Silvicultura e pós-doc nos EUA (USDA Forest Service e NCSU). Membro delegado da Associação Europeia de Silvicultura (2001). Grupo para a Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas (Florestas). Trabalhos na especialidade em Portugal e no estrangeiro e em particular com as florestas de carvalho. Integra Projeto Floresta Comum para a floresta autóctone.

Eneas Bernal. Dedica-se a acompanhar e iniciar trabalhos no campo da arte. Integra parte da equipe do MUSAC, Museu de Arte Contemporânea de Castilla y León (Espanha) como Coordenador de Projetos. Desde 2015, junto com pessoas de dentro e de fora da instituição, foi desenvolvido o Laboratório Call 987 do MUSAC, um programa permanente de auxílio à produção e divulgação cultural que busca aprofundar a relação entre atividade cultural, pensamento crítico e participação social. musac.es/Lab987

Humberto Martins, 48 anos, Almada. É antropólogo e professor Auxiliar na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Tem como principais interesses de investigação a antropologia visual (campo onde mais tem publicado) e os estudos das áreas protegidas. Desde 2006 que organiza os Encontros da Primavera – Antropologia, Cinema e Sentidos.

Catarina Mourão estudou Música, Direito e Cinema (Mestrado na Universidade de Bristol e Doutoramento pela Universidade de Edimburgo, bolseira da FCT em ambos). Fundadora da AporDOC (Associação pelo Documentário Português). Dá aulas de Cinema e Documentário desde 1998 em diferentes Licenciaturas e Mestrados. Em 2000 cria com Catarina Alves Costa a Laranja Azul, produtora independente de cinema. É neste contexto que realiza os seus fimes que têm sido sempre premiados e exibidos em festivais internacionais. O seu último filme “A Toca do Lobo”, realizado no âmbito do doutoramento, estreou comercialmente em várias salas do país e foi exibido pela primeira no Festival Internacional de Cinema de Roterdão. As suas áreas principais de investigação são documentário, memória, sonho, arquivo e autobiografia. Presentemente é docente no mestrado de Artes e Multimedia na FBAUL. catarinamourao.com

António Bárbolo Alves (1964), nasceu em Picote (Miranda do Douro). É licenciado em Ensino de Português e Francês (Universidade do Minho), mestre em Ensino da Língua e Literatura Portuguesas (Universidade do Minho) e Doutorado em Linguística pela Universidade de Toulouse – Le Mirail, com equivalência ao grau de Doutor em Linguística Portuguesa (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro - UTAD). Nesta mesma Universidade, realizou trabalho de pós-doutoramento, de 2005 a 2009. De 1990 a 1995 esteve na Universidade do Minho, no Projeto MINERVA e, de 1997 a 2003, desempenhou as funções de Leitor de Língua e Cultura Portuguesas na Universidade de Nice – Sophia Antipolis. Foi bolseiro da JNICT, em 1995, e da Fundação para a Ciência e a Tecnologia de 2005 a 2008. Desde 1989 é professor do ensino secundário e, desde 2007, investigador do Centro de Estudos em Letras da UTAD. O seu tema de investigação é a língua e cultura mirandesas. É colaborador regular do semanário Mensageiro de Bragança, com textos em mirandês e sobre o mirandêswww.mdb.pt/cronistas/antonio-barbolo-alves − e autor de várias publicações, livros e artigos, que se podem consultar na base de dados www.degois.pt. É sócio da Associação Portuguesa de Linguística, da AIDLCM (Association Internationale pour la Défense des Langues et des Cultures Menacées); e membro da Comissão Científica da Revista Asturiana de Filologia (Universidade de Oviedo, Espanha); e da Comissão Científia da Revista Studii şi cercetări fiologice. Seria limbi romanice (Universidade de Pistesti, Roménia).

Maria Elisa Preto Gomes, Professora na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Doutorada em Geologia - Petrologia e Geoquímica. Membro da Comissão Organizadora e Científica de diversos eventos científicos. Orientação ou co-orientação de teses de doutoramento (5) e mestrado (12). Publicação de dezenas de abstracts em atas de congressos e artigos em revistas. Tem exercido cargos de gestão na UTAD e serviços de extensão na região.

António Jorge Jacoto Lourenço, nasceu no Porto, em abril de 1971. É licenciado em Direito (Universidade Lusíada), pós-graduado em Desenvolvimento Integrado e Politicas Socais (Instituto Superior Miguel Torga), em Administração Publica (Universidade do Minho) e Especialização em Ciências Documentais - Variante Arquivo (Instituto Superior de Línguas e Administração). De 1995 a 2000 desempenhou funções docentes, na área do Direito, no Instituto Politécnico de Bragança. De 2001 a 2008 foi colaborador docente na Extensão de Miranda do Douro da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, lecionando disciplinas da área do Direito. Entre 2002 e 2007 foi Jurista Coordenador do Gabinete Técnico Local, do Município de Miranda do Douro, coordenou a Equipa Multidisciplinar do Gabinete Técnico Local, que elaborou estudos, projetos e planos, necessários e preparatórios de operações de recuperação e reabilitação ou renovação de áreas urbanas em diversos locais do concelho de Miranda do Douro. Desde 2007, exerce funções de técnico superior de arquivo, no Arquivo Municipal de Miranda do Douro. Desde outubro de 2017, é Presidente da Junta de Freguesia de Picote. É fundador e presidente da direção da FRAUGA - Associação para o Desenvolvimento Integrado de Picote.

Margarida Telo Ramos, nasceu em Travanca (Mogadouro), no dia 22 de Maio de 1970. Descende de uma família de agricultores, que se dedicava principalmente à produção de cereal e gado leiteiro. As suas vivências e memórias estão muito relacionadas com o meio rural. Nas férias escolares colaborava com a família nos trabalhos agrícolas e participava nas actividades tradicionais da família e da aldeia, o que lhe incutiu competências e gosto pela agricultura e natureza, influenciando-a na escolha do seu percurso académico e profissional. Licenciou-se em Gestão de Recursos Florestais no Instituto Politécnico de Bragança (IPB-ESAB). Em 1995 iniciou a sua atividade profisional na CAP, no inventário cartográfico do parcelário agrícola. Entre 1997 e 2007 trabalhou no Parque Natural do Douro Internacional, em tarefas de gestão florestal, educação ambiental e guia de visitantes ao Parque. A paixão pela natureza intensificou-se com esta experiência, o que a levou à realização de um Mestrado em Gestão e Conservação da Natureza (IPB-ESAB), tendo defendido como tese final o estudo da “Etnoflora do Planalto Mirandês”. Esta tese deu origem à realização de um trabalho, em colaboração com a Associação Frauga, que constou no “Inventário da Etnoflora da Terra de Miranda”. Quis o destino que em 2007 viesse viver para a aldeia de Picote, onde outrora terão vivido seus ascendentes familiares. É nesta aldeia que vive hoje (2019), com a sua família, onde faz a gestão de um pequeno empreendimento de Turismo no Espaço Rural, no qual recebe pessoas de várias partes do mundo, e às quais dá a conhecer o riquíssimo património natural da Terra de Miranda.

Sira Escobar, Grado Hª del Arte, Universidad de Léon. Estudiante en Prácticas en la Convocatoria Laboratorio 987, MUSAC.

José Francisco Preto, nasceu em Picote a 13 de agosto de 1954. Concluiu o 6.º ano de escolaridade. Desde muito cedo que se dedica à pastorícia, há mais de 40 anos, atividade que acumula com a de segurança privado numa empresa de segurança.

Organização
  • Frauga - Associação para o Desenvolvimento Integrado de Picote
  • Junta de Freguesia de Picote
  • UTAD - Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Apoios
  • MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia
  • Fundação EDP
  • Santander Universidades
  • CRIA - Centro em Rede de Investigação em Antropologia
  • FCT - Fundação para a Ciência e Tecnologia
Parceiros
  • Terra Mater - Ecomuseu de la Tierra de Miranda
  • Família Kolping de Picote
  • República Portuguesa
  • Direção Regional de Cultura do Norte
  • Museu da Terra de Miranda
  • APA - Associação Portuguesa de Antropologia
Equipa
  • Direção: Humberto Martins
  • Curadoria e produção: Lorenzo Bordonaro
  • Elaboração gráfica e documentação: Gonçalo Mota
  • Produção e apoio local: Jorge Lourenço
  • E-mail: encontrosdeprimavera@gmail.com
  • Telefone: (+351) 934 024 993